Medo de assombração!

Postado em 02/09/2021

Medo de assombração!

Você tem medo de assombração?

Buuuuu!

Quando se tem até uns 6 anos de idade, o grande medo é em relação aos monstros. Eles habitam o imaginário das criancinhas. Elas adoram ver filmes onde os monstros são combatidos e destruídos, mas na hora de dormir, parece que os heróis desaparecem e essas estranhas criaturas ressuscitam e dominam a noite, deixando um medo aterrorizante... E sabe qual é o lugar mais seguro do mundo nessas situações? A cama dos pais!

Até que um dia se tem certeza que monstros são fantasias da nossa imaginação infantil. No mundo real, eles não existem. Ou melhor, existem criaturas humanas que cometem coisas monstruosas, mas que têm uma aparência normal... Então, se a porta está trancada e estamos em uma casa segura com a nossa família, estamos protegidos da maldade humana e podemos dormir sossegados...

No entanto, não é bem assim que funciona...Os monstros foram embora mas surgem os fantasmas, criaturas sem forma definida, que já habitaram esse mundo e não ficaram satisfeitas por terem que se retirar dele. Quem já não viu um filme de terror contando essas histórias....? Ou até um filme de amor, como “Gosh”?

Então, o medo volta. Ou será que ele nunca foi embora e nós apenas substituímos os monstros pelas assombrações?

Aliás, o nome é bem apropriado porque essas criaturas vivem “assombrando” a nossa imaginação, tal qual nos filmes de terror... E, em geral, acontece à noite, quando se está sozinho no escurinho do quarto.

Fantasmas existem?

Você conhece alguém que já tenha visto um fantasma? As estórias de fantasmas sempre acontecem com o  amigo de um primo que tem um colega... ou seja, cada um que conta aumenta alguma coisa...

Outra experiência que tenta provar a existência de seres sobrenaturais, que rende muitos gritos e risadas entre a garotada é a do copo de água que se mexe sozinho na mesa.  Um grupo de adolescentes assustados senta-se à volta da mesa, com um copo de água no centro. De olhos fechados e concentrados, invocam os espíritos presentes para que se manifestem através do copo. Nesse clima de apreensão e medo, embora tentem parecer tranquilos e valentes (especialmente os meninos!), acreditam ver o copo se mexendo. Depois de muitos sustos e berros, saem contando e “aumentando” a aventura.

Na verdade, todos nós temos os nossos “fantasmas”, ou seja, medos de coisas que podem acontecer conosco ou com nossos familiares no futuro (próximo ou distante) e que provocam insegurança. Quando estamos sozinhos, solitários, em geral na hora de dormir, esses “fantasmas” ganham “vida” e começam a nos atormentar, nos tirando o sono. Às vezes, já estamos dormindo e acordamos assustados. Mas são os fantasmas de dentro de nós (e não fora de nós!) que causam toda essa confusão.

A presença dos pais é sempre tranquilizadora porque nos asseguramos de que eles estão vivos e presentes na nossa vida. Os pais são verdadeiros “caça-fantasmas”, apesar de não sermos mais criancinhas... não é assim que funciona? Eles sempre acalmam os nossos medos!

Outras Notícias

 

12 atividades simples para ajudar seu filho a desenvolver a coordenação motora
Postado em 21/10/2021

Aos três anos, a criança já deve ser capaz de controlar a concentração e a coordenação motora necessárias para fazer movimentos finos e precisos com os dedos. Veja algumas atividades fáceis de fazer no dia a dia, sugeridas por especial...
leia mais »

O momento mágico de contar histórias
Postado em 10/10/2021

Mais que uma linguagem prazerosa e educativa, a ação de contar e ouvir histórias possibilita o resgate da memória cultural e afetiva. Contar histórias é a mais antiga das artes. Nos velhos tempos, o povo se reunia ao redor do fogo para se esquentar, alegr...
leia mais »

Como construir história em quadrinhos com os alunos
Postado em 25/09/2021

Não se sabe ao certo a origem das HQ (histórias em quadrinhos), mas segundo estudiosos da área, o primeiro super-herói de história em quadrinhos a se tornar ídolo foi o Superman, em 1938.

Vale ressaltar que antes dele já existia outros co...
leia mais »